domingo, 19 de março de 2017

Jogar preparando a próxima época


O Sporting venceu o Nacional da Madeira por, 2-0 em jogo da 26ª jornada da Liga NOS com golos do inevitável Bas Dost. 
Foi um jogo QB onde o Sporting foi o melhor durante a maior parte do tempo e por isso merecedor da vitória. Alan Ruiz regressou á equipa depois de castigo, Rúben Semedo roubou o lugar a Paulo Oliveira, Matheus Pereira continuou como ala esquerdo e Bryan também continua a dar boa conta de si no lugar de Adrien Silva.
O jogo define-se numa palavra: pragmatismo!
Diga-se a verdade, não foi um jogo muito bem conseguido por parte do Sporting!
Marcamos dois golos em jogadas de bola parada(cantos apontados normalmente e não com jogadas inventadas) mas poderíamos ter feito muito mais.
O Sporting não tem o brilhantismo que teve há um ano pois sente-se muito a falta do nosso capitão no meio campo mas também de velocidade e de aplicação dos processos de jogo. Mas os processos de jogo que se trabalham muito nos treinos não saem muito bem nos jogos porquê? 1º porque jogo é jogo e treino é treino e ainda a semana passada ouvíamos JJ dizer para o Matheus para ele fazer no jogo o que fazia nos treinos. 2º porque não é de um dia para o outro que eles se aprendem e são bem aplicados, isto em jogadores que mal jogaram juntos a época toda, Marvim e Matheus.
Ora, uma rotação acentuada e constante é prejudicial a esta aprendizagem de processos mas há um principio nisto tudo-são já dois jogos em que o Marvim e o Matheus jogam juntos.
Claro que do lado direito as coisas estão melhores. Gelson e Schelotto já jogam há mais tempo e foi deste lado que criámos mais perigo.
Sinto que esta equipa tivesse estado toda uma época em sobressalto. Foram as inúmeras contratações e o que esses jogadores nunca deram á equipa, foram também as constantes mudanças na equipa que só nos descaracterizavam e claro os erros de arbitragem fizeram o resto.
Agora tenta-se trabalhar já em género de preparação da próxima temporada. O jovem Matheus joga na ala esquerda e já vai no seu 2º jogo a titular(e que bons pés tem Matheus), educa-se um Alan Ruiz ainda não muito conhecedor dos processos que acarreta a sua posição e os outros jovens, Podence e Palhinha, também se juntam a Matheus no trajecto para ganhar experiência e mais conhecedores dos processos que são peça fundamental na engrenagem.
Mas sobre este trabalho quero salientar o excelente trabalho que Jorge Jesus tem feito.
Eu percebo que os sportinguistas queiram ver o Podence e o Matheus a titular mas ainda têm que aprender muito até chegar esse dia. Por isso se falava que estes jogadores poderiam estar de regresso ao SCP mais cedo do que deviam.
Eu não diria tanto mas o trabalho já tem que ser outro. Enquanto no Moreirense(por ex.) jogavam a titulares e jogavam muitos minutos no Sporting tudo é diferente e a exigência é mais elevada. Lembram-se quando Boloni tanto colocava o Ronaldo como no jogo seguinte depois o tirava, lembram-se quando Ronaldo chegou ao Man. United era dispensado depois de realizar um bom jogo? É quase o mesmo! Só que agora jogam poucos minutos mas o trabalho é diferente. Agora estão em elevada exigência e é desta forma que vão assimilando os tais processos da equipa.
É lógico que este trabalho é um trabalho moroso e não são todos os jogadores que têm a oportunidade de jogar.
Por exemplo: neste jogo Matheus jogou a titular porque o Adrien não está bom e com o deslocamento de Bryan para o meio ficou uma vaga na esquerda. Claro que B. César podia ter jogado mas depois das boas indicações em Tondela JJ preferiu dar mais minutos a Matheus e....Marvim. Depois, no ataque e com o regresso de Alan Ruiz JJ preferiu dar a titularidade a quem está mais entrosado com os tais processos da equipa e a quem tem estado bem. Alan esteve castigado mas até estava a marcar golos e seria um pouco injusto dar a titularidade a Podence. Mas mais: o Alan precisa de jogar para na próxima temporada estar...no ponto.
É que o Podence é jovem e ainda está a aprender e viu-se quando entrou que não sabia bem onde estava e onde devia estar. No entanto isto é normal pois é assim que os jovens são antes de aprenderem. Podence tem qualidades a cima da média e brevemente demonstrará isso mesmo mas por enquanto tem que esperar por oportunidades como as de Tondela.
Quem parece não ter tanta sorte é Palhinha que só deverá jogar na posição 6, ou seja, quando sair o William. Claro que pode ter minutos como teve neste jogo mas depois da não muito boa prestação com o Estoril penso que não se deverá repetir.
Quem não se poderá queixar....nada é Rúben Semedo. O Rúben tem jogado praticamente toda a temporada e nem mesmo com o Paulo Oliveira em boa prestação JJ o pretere. Foi sem dúvida um regresso á equipa inesperado mas já se viu que JJ morre de amores por Rúben Semedo. A outra explicação poderá ser pelo Paulo estar condicionado pois não me parece que jogar de semana a semana possa cansar um jogador.
Por fim o Francisco Geraldes que parece estar em desvantagem perante Podence e Alan Ruiz. É que se ele jogar na posição 10 tem estes dois jogadores para ultrapassar e não é fácil. Todos vemos qualidades no Chico mas para entrar na equipa alguém tem de sair.
E assim vai ser até ao final da temporada. Os jovens vão rodando e outros vão jogando e aproveitando todos os minutos que possam.
Há muito trabalho para fazer e não vai ser fácil fazer uma grande equipa para 17/18. Não sei como pretendem construir a equipa mas por favor , tragam jogadores velozes. Esta equipa tem poucos jogadores rápidos. Do nosso lado direito temos o Schelotto e o Gélson que são rápidos mas do lado esquerdo não é bem assim. Sim, o Marvim tem velocidade mas não desenvolve mais do que aquilo.
Por isso disse que precisávamos de um extremo esquerdo que desequilibrasse como faz o Gélson e não de jogadores que não consigam ir á linha nem ganhar no sprint. Desses já nós cá temos e se queremos apostar na formação temos que ter um titular experiente para podermos depois rodar um jovem aos poucos ....tal e qual como estamos a fazer de momento.
E quem fala em velocidade também fala em pulmão.
Foi notório que esta equipa não o tem. O ano passado tinha mas ainda neste jogo e no outro com o Guimarães em Alvalade onde esteve? Mas com o Vitória foi pior pois empatados e a precisar de carregar em cima do adversário e......bola, zero!! Já ontem o 2-0 parecia que chegava.
Ontem e mais na 2ª parte senti que já não havia muita vontade de fazer o que quer que fosse. A equipa perdeu-se em toques e mais toques para aguentar a bola e lançar um ataque fulminante mas os passes não saiam e as desmarcações não existiam. Cansaço ou forma de jogar? Eram essas as instruções?
O que me parece é que é importante uma equipa saber controlar os tempos de jogo e que é isso que se trabalha. O ano passado a equipa sabia fazer isso com mestria mas este ano...esqueçam lá isso e por isso levámos golos nos últimos minutos.  Não só mas também!
Claro que neste jogo bem tentámos mas acabávamos sempre por perder a bola e não tivemos muita....disponibilidade em conquistá-la de volta.
O curioso ....é que em Tondela fizemos isso mas....foi porque jogou o Podence na frente e não o Alan Ruiz e isso faz a diferença toda. No entanto isso é muito pouco pois no ano passado fazíamos isso a todos os nossos adversários e este ano não somos tão bem...conseguidos.
São estes pormenores que fazem uma equipa mas desde a saída de Slimani, Teo e João Mário que temos tido ´saudades` mas agora e até ao final da temporada iremos rodar mais a equipa e dar minutos aos nossos jovens com o intuito de estarmos mais fortes para 17/18 juntamente com aqueles que ainda entrarão no plantel. Porém temos muito trabalho para fazer mas fica uma certeza: ter estes jovens todos a jogar ao mesmo tempo está fora de questão e esta equipa que tem de ser bem reforçada se quiser ser uma verdadeira candidata ao titulo.

Ainda não segue AmorSporting nas redes sociais? Do que espera? É só clicar na imagem em baixo. Obrigado.

Sem comentários :

Enviar um comentário

Comente em AmorSporting: