segunda-feira, 29 de agosto de 2016

Sporting vence 1º clássico(Em Alvalade mandamos nós)


O Sporting venceu justamente o 1º clássico da temporada por, 2-1 como golos de Slimani e Gélson Martins.
Não foi nada fácil vencer uns dragões que se mostraram peritos no contra-golpe mas também em queixinhas e acusações esquecendo-se dum passado recente ligado á fruta.
Em Alvalade com casa cheia o ambiente foi fantástico e a nossa equipa mostrou-se á altura mas também foi preciso sofrer.
Slimani fez o seu último jogo pelo Sporting.
Que mal-estar ficaram os dragões , mais uma vez, por não vencerem em Alvalade mas acontece que revelam melhores em criticas e acusações quando se pensavam que estavam mais concentrados em formar boa equipa.
Criticas e mais criticas e queixinhas revelam-se como de melhor sabem fazer mas esquecem-se de que muitos cartões ficaram por mostrar a muitas entrada perigosas que o srº árbitro preferiu ignorar para manter o FC Porto em jogo até final do jogo.
Pelo Sporting que até nem começou bem a partida fez por vencer lutando cada lance como se fosse o último e isso não podemos esquecer nem que os queixinhas peçam para não se ver.
O Sporting foi a melhor equipa dentro de campo até porque Rui Patrício quase nem uma defesa fez.
A equipa iniciou a partida com algumas surpresas no onze inicial mas provando que este plantel tem todas as condições: Zeegelaar regressou á lateral esquerda, Bruno César regressou também a ala esquerdo e Bryan jogou mais na frente.
11 inicial: Rui Patrício, João Pereira, Coates, Rúben Semedo, Zeegelaar, William Carvalho, Adrien, Gélson Martins, Bruno César, Bryan Ruiz e Slimani.  
No entanto posso dizer que perante a acção muito defensiva do FC Porto tivemos muitas dificuldades em conseguir impor o nosso jogo. O adversário jogava muito na pressão sobre William mas os nossos jogadores também pareciam com medo de ter a bola tal a quantidade de passes errados.
Como se isso não bastasse ainda nos vimos em desvantagem aos 9 minutos com um golo marcado num livre indirecto mas numa falta inexistente sobre Danilo como podemos ver na imagem.


Curiosamente os Dragões não se queixaram deste lance no final do jogo. É natural e hábito quando não se consegue olhar para o próprio umbigo.
Mas o Sporting não desistiu e nas bancadas nem deixou de se apoiar e o Estádio inteiro acreditava que a reviravolta era possível.
E no acreditar muitas vezes está o ganho.
A equipa tentou chegar á igualdade e num livre bem marcado por Bruno César chegámos á igualdade. A bola vai ao poste da baliza de Casillas e na recarga Gélson quase não marcava e teve que ser Slimani a empurrar para golo.
Mais uma vez as queixas dos portistas fizeram-se notar queixando-se de que Gélson teria parado a bola com o braço mas isso não aconteceu.
O que se passou foi que passados 5 minutos do golo portista os Leões chegaram á igualdade mas aos 26 minutos de jogo ficámos na frente do marcador.
Há um cruzamento da esquerda de Bruno César com o defesa do FC Porto a cabecear contra o braço de Bryan Ruiz e no ressalto, Gélson faz o golo. Que intencionalidade tem um jogador quando enviam a bola contra ele á queima roupa? Foi o que aconteceu e que se saiba os jogadores de futebol não podem cortar os braços.
Golo limpo mas mais uma vez mais queixinhas!
O que para mim é curioso é que o Sporting não jogava nada de jeito e conseguiu marcar dois golos quando noutros jogos onde joga bem e tem ocasiões de golo torna-se difícil marcar. Mas o futebol é mesmo isto-imprevisibilidade!
Para a segunda parte viemos bem melhores e dominámos a partida com excepção dos últimos 20/25 minutos em que nos remetemos mais á defesa tentando sair em contra-golpe.
Acontece que os Dragões que até então tinham abusado dos pontapés para as costas da nossa defesa e em contra-golpes viram-se com mais bola nos pés e aí já não jogam tão bem.
Jorge Jesus que já na 1ª parte tinha trocado as posições de B. César e Bryan Ruiz voltou a mexer bem na equipa. Tirou Bryan que esteve apagado e Gélson e colocou Joel Campbell e Bruno Paulista.
Com isto B. César voltou á esquerda e o costa-riquenho colocou-se na nossa direita.
A equipa estabilizou pois ficou com mais pulmão com um Paulista a entrar muito bem no jogo mas também com um Sir William, que também fez um jogo muito bom, a dar cartas no miolo e a impedir avanços territoriais dos portistas.
Ainda passámos por alguns sobressaltos mas quem não sofre não vence!
Destaque sim, para alguns cartões que ficaram por mostrar aos portistas por darem muito pau mas que o srº árbitro fez tudo para não ver o 2º cartão amarelo a André André ficou por mostrar e logo de seguida foi substituído.
Na nossa equipa vou destacar vários elementos: Rúben Semedo fez um jogo tremendo cortando tudo o que havia para cortar especialmente no jogo aéreo, Zeegelaar que correu o flanco todo e esteve bem a defender, William que correu quilómetros e que soube sempre ter a bola nos pés, Gélson que esteve nos dois golos e Slimani que foi , para mim, o melhor em campo pois foi um Mouro de trabalho.
Em jeito de despedida, Slimani, deixou a sua marca e deixa saudades com toda a certeza.
O Sporting venceu e já é o líder isolado...á 3ª jornada.

Sem comentários :