terça-feira, 1 de dezembro de 2015

Sporting com lucro de 74.000€ no 1º trimestre/2015.


O nosso Clube apresentou na CMVM o relatório e contas do 1º trimestre de 2015(primeiros três meses do Exercício em curso, período compreendido entre 1 de Julho de 2015 e 30 de Setembro de 2015). 
O relatório apresentado , ontem dia 30/11-2015 aponta um lucro de 74.000€.(LINK)
No período homologo os lucros apresentavam um resultado positivo de cerca de 24.623 Milhões de euros o que significa que a não qualificação para a fase de grupos da Liga dos Campeões tiveram muito peso nestas contas. 
É que participar na Liga Europa é quase insignificante!
Aqui fica uma breve análise(transcrita) a esta demonstração financeira:

1.1. Os resultados no 1º trimestre foram positivos em 74 milhares de euros, apresentando uma significativa redução face ao resultado de 24.623 milhares de euros no mesmo período do exercício anterior;

1.2. O aumento verificado nos Proveitos Operacionais – Prestações de Serviços, é sobretudo reflexo de no primeiro trimestre do exercício anterior não estar ainda integrada a Sporting – Património e Marketing, S.A. (“SPM”) nas contas da Sporting SAD originando uma melhoria das receitas com bilheteira e bilhetes de época com um aumento de 1.086 milhares de euros (+46%) e de equipamentos e merchandising, no valor de 1.641 milhares de euros, apresentando também uma melhoria das receitas obtidas com direitos televisivos de 233 milhares de euros (+6%);

1.3. A diminuição verificada nos Proveitos Operacionais – Outros Rendimentos e Ganhos deriva da eliminação prematura no playoff de apuramento para a fase de grupos da Champions League, tendo a equipa de futebol principal sido relegada para a fase de grupos da Europa League;

1.4. Em termos de Gastos Operacionais, face à integração da SPM no 2º trimestre da época transacta observa-se um montante no corrente trimestre de 1.193 milhares de euros de custo com as mercadorias vendidas; adicionalmente, associado a um maior investimento nas equipas técnicas e de jogadores profissionais de futebol assiste-se a um aumento nos “Gastos com Pessoal”; de facto, tendo sido ultrapassadas as iniciais dificuldades decorrentes do processo de reestruturação e considerando o Conselho de Administração fundamental para a recuperação do posicionamento de liderança da Sporting SAD, e estando em curso no curto e médio prazos revisões ou renovações de contratos de significativa importância para a Sociedade, entendeu-se ser o momento de se avançar para o referido investimento;

1.5. O aumento da rubrica de “Fornecimentos e Serviços Externos” (+12%) deve-se essencialmente à organização de jogos particulares, a um aumento dos gastos com comissões, e ao aumento das despesas com manutenção e reparação e trabalhos especializados, associados à integração das actividades da SPM, já atrás referidas (tendo como contrapartida a redução dos gastos com subcontratos);

1.6. O aumento das Depreciações e amortizações excluindo plantel deve-se, mais uma vez, à já referida integração das actividades da SPM na Sporting SAD;

1.7. No primeiro trimestre de 2015/16 não foram registadas mais-valias significativas, sendo as mais relevantes as de Naby Sarr e de Shikabala, o que compara com transacções de Passes de Jogadores no montante de 19.691 milhares de euros no exercício anterior, associadas à alienação dos direitos desportivos dos jogadores Marcos Rojo, Eric Dier e Fito Rinaudo;

1.8. As variações na Situação Patrimonial são essencialmente devidas a:
-Acréscimo de Activo, em especial relacionado com o aumento do valor do plantel e dos montantes relativos a Outros Activos Correntes, relacionados fundamentalmente com a especialização de valores a receber da UEFA;
-Acréscimo do Passivo, em grande parte relacionado com o aumento dos valores a pagar a fornecedores, Estado e outros entes públicos e outros passivos correntes (remunerações, juros e comissões a pagar até final do exercício bem como rendimentos recebidos no primeiro trimestre a reconhecer ao longo da época);
-Aumento dos Capitais Próprios relacionado com o resultado líquido positivo do período em análise.

1 comentário :

Anónimo disse...

Numa análise rápida, sem grandes detalhes e muito menos conhecimento na área. Os resultados financeiros continuam positivos, no "Verde", e mais importante sem usar a "bomba atómica": Sem vender nenhuma das nossas "jóias". As apostas da Administração continuam a mostrar-se certas e no rumo certo. Agora é consolidar, valorizando cada vez mais a nossa marca.


Off-topic: E ainda faltam as 10 Academias na China...