sábado, 19 de setembro de 2015

O nosso sistema táctico.


Desde que JJ chegou ao Sporting que o nosso sistema táctico é sobejamente conhecido. O 4-4-2 com "nuances" no SCP tanto é um 4-4-2 como um 4-2-3-1 , 4-1-3-2 , 4-3-3 ou até um 4-5-1. Mas se dantes não era tão debatido , já no nosso Clube não se fala noutra coisa.
No Sporting tudo é elevado ao máximo e assim a "missão" de JJ torna-se mais difícil.
Olhando para a nossa equipa mas de um plano mais elevado constatamos que a nossa disposição no terreno de jogo é mesmo em 4-4-2. Com dois médios centro que procuram a bola para distribuir/construir jogo , com dois extremos que procuram espaços mais interiores deixando livre a ala para os laterais e com dois homens mais avançados sendo que um deles joga um pouco mais recuado do que o outro. 
Em alguns momentos do jogo pode dar a sensação de que jogamos em outro sistema táctico que até pode acontecer mas basicamente jogamos , mesmo, em 4-4-2. 
Se recuarmos no tempo veremos que Marco Silva chegou a utilizar o 4-4-2 com algum sucesso. Se com Montero e Slimani éramos mais ofensivos também o éramos mais permeáveis. O colombiano não sendo um jogador mais aguerrido não fechava tão bem o miolo como fazia João Mário. Com Montero tínhamos um elo mais fraco e com Teo Gutiérrez acontece quase o mesmo. Aliás, JJ, admitiu que o cafetero não é um 2º avançado mas sim , um ponta-de-lança o que significa que está a ser adaptado a uma nova posição e a aprender a ser mais móvel como o é João Mário.
O nosso mister já testou João Mário mais á frente e com muitos bons resultados. Foi na 1ª parte frente ao CSKA , em Moscovo onde fizemos 45´ de grande nível. No entanto deveria ter jogado Slimani mais na frente pois é mais pressionante que Teo.
No entanto não é no ataque que temos tido problemas. O sector que mais tem dado problemas é a nossa defesa.
Atenção que a nossa defesa é a nossa equipa.....toda!! Só aqueles 5 jogadores não fazem milagres e uma equipa tem que saber jogar em futebol apoiado , tanto a atacar como a defender. Isso não tem sido bem concretizado!!
Com isto, quero frisar que não são só aqueles os defesas e sim , também, os extremos que têm que descer e ajudar os laterais, os médios centro que que têm que ser mais agressivos e estanques e também os avançados que são os primeiros a defender pressionando lá bem na frente.
Acontece que Adrien não é um médio defensivo e Aquilani também não tem essas características.
Obviamente que falta o William Carvalho para poder matar, parar ou cortar o jogo adversário mas quando estiver recuperado de lesão vai ser problemático escolher o seu parceiro.
Também desejo debater  o tempo , exagerado, que temos de posse de bola! Já o tinha dito e volto a fazê-lo: A posse de bola não é tudo(que o digam as duas equipas russas).
O que eu criticava com Marco Silva é exactamente este aspecto e agora temos o mesmo. Do que vale exagerarmos na posse de bola mas não criarmos ocasiões de golo? Isso é o que o adversário quer!!
Slimani e Teo são altos e bons no jogo aéreo mas os cruzamentos têm sido péssimos.
Na época passada quando Slimani jogava pela Argélia e só tínhamos Montero, colocávamos a bola para dentro da área mas não era a praia do colombiano. Agora que temos duas referências de área não fazemos um cruzamento de jeito. Incrível!!
O Sporting tem um processo construtivo algo lento tem muita posse de bola mas do que vale isso se não criarmos perigo para a baliza adversária? É que praticamente só criamos perigo quando  jogamos em contra-golpe!!
A meu ver exageramos nas jogadas pelo nosso lado direito deixando muitas vezes Jefferson a correr ...esquecido. Depois quando chegamos perto da área do adversário e em vez de cruzar a bola ainda tentamos ir até á linha final e voltamos para trás e enrolamos , enrolamos , enrolamos. O que é que dá? Bola perdida , jogada cortada e mais uma oportunidade de colocar a bola na área desperdiçada!!
Então se temos duas referências dentro do castelo do adversário porquê enrolar tanto a bola?
Outra coisa que também fazemos mal é as jogadas de passe curto dentro da área do adversário. É aqui precisamente que o adversário têm mais jogadores e obviamente é-nos mais difícil penetrar.
Nestes aspecto falta-nos objectividade e simplicidade de processos e estas jogadas simples fazem-nos muita falta. Slimani e Teo precisam de ter mais trabalho! Coloquem lá as bolas bem cruzadas e vão ver o que é marcar golos!!
É que os nossos adversários já vão sabendo recuar no terreno e povoar a sua área e zona frontal com quase toda a equipa e depois explorar os contra-golpes. É claro que sabemos disso e podemos evitá-los se colocarmos mais bolas dentro da área adversária pois os cortes serão simplesmente cortes e não jogadas de contra-golpe. Desta forma evitamos muitas jogadas destas.
Outro problema é tentar jogar pelo meio do terreno e próximo da área adversária quando estão lá 10 jogadores concentrados.
Para que são aqueles passes para Slimani e Teo quando estão super marcados? É puro desperdício pois são lances mais fáceis de cortar.
Se estes passes forem em progressão - concordo!
Se não forem - não concordo!
Penso que seria mais produtivo canalizar o jogo pelas laterais, estes subirem (como costumam fazer) e aí sermos mais práticos nos processos. Depois de 1 ou 2 toques, a bola tem que viajar impreterivelmente para Slimani e para Teo Gutiérrez. Esqueçam é aquelas jogadas de passe curto a tentar entrar no castelo adversário. Não é mais difícil tentar furar um muro do que rodeá-lo???? Pois ....não é isso que temos feito!
O sistema de JJ é muito exigente e o tempo da sua implementação depende da qualidade dos jogadores. Um jogador com mais criatividade aplicará melhor o conceito de Jorge Jesus e o Sporting tem jogadores experientes e criativos. Mau é se os nossos jogadores mais criativos(ex: Carrillo) não jogarem!!
Se o nosso mister apostar na criatividade dando muita liberdade a Carrillo ou a outro jogador, quando ele não jogar a equipa vai-se ressentir.
Se os processos não dependerem de um jogador em particular, quem jogar saberá o que fazer e a equipa o que esperar. No entanto tudo depende da qualidade dos artistas e o Sporting tem essa qualidade.
Com o Lokomotiv notou-se este problema. Foram 5 mudanças e apesar dos processos serem os mesmos os artistas eram outros, mais novos e menos experientes.
JJ vai ter muito trabalho pela frente pois alguns jogadores da nossa 2ª linha demonstraram que ainda não estão á altura dos acontecimentos. Tobias é o nosso 4º defesa central, João Pereira não convence , Gelson é explosivo mas ainda é jovem, Mané tem que saber fugir da marcação e Montero já mostrou mais garra mas ainda pode fazer muito melhor.
Esta 2ª linha não é para jogar toda ao mesmo tempo e sim um de cada vez (2 no máximo) e intercalados com o resto dos titulares. Assim será a melhor forma de se fazer uma rotação mas não critico JJ pois só ele sabe o que precisava de fazer.
Uma coisa é certa. O Sporting ainda não tem as suas peças todas disponíveis e o sistema táctico demora o seu tempo. Agora: Se vamos na frente da Liga , qual é a crise???

Sem comentários :