quinta-feira, 17 de setembro de 2015

Jornada Europa(1ª): Salada russa(1-3).


Teve inicio a Liga Europa e logo com a recepção a um dos candidatos a vencer o Grupo H - o Lokomotiv de Moscovo. Candidato porque acabou de vencer em Alvalade por , 1-3 dando uma lição de contra-ataque ao Sporting.  
Depois da não passagem á fase de Grupos da Champions ficámos com a prova consolação e hoje , em Alvalade, voltávamos a jogar contra ...russos. Deste vez não fomos roubados mas sim desconcentrados e jogámos muito mal.
Jorge Jesus fez 5 alterações na equipa e o futebol da equipa ressentiu-se: João Pereira, Tobias Figueiredo, Mané , Montero e Gelson surgiram na vez de Esgaio, Naldo, Carrillo , Slimani e Bryan Ruiz.
O jogo teve inicio, praticamente, com o golo do Lokomotiv. Passe a lateralizar o jogo, mal efectuado por Gelson, contra-ataque rápido , a bola é colocada na velocidade de Niasse e no ressalto á defesa de Rui Patrício , Samedov , empurrou de cabeça para o fundo da baliza. Muito fácil!!
A partir deste momento o Sporting começou a empurrar os russos para o seu meio campo  mas o futebol muito mastigado e com pouca velocidade dava tempo para fecharem todos os caminhos. Os russos recuavam as linhas e o Sporting não tinha ideias e as jogadas pelo lado direito eram tempo perdido. Posso dizer que nunca vi João Pereira jogar tão mal!! Nas alas, notava-se a inexperiência de Mané e Gelson mas este ultimo foi mais inconformado. No miolo, Aquilani e Adrien dividiam as despesas mas faltava algum entrosamento e em alguns lances pareciam estorvar-se um ao outro.
Na minha opinião o Sporting exagera no passe curto e com isso é mais fácil roubarem-nos a bola. Depois a nossa defesa estava lenta e em lances de bola parada parecia que ninguém marcava....ninguém.
A 1ª oportunidade de golo do SCP foi por intermédio de Paulo Oliveira na marcação de um canto e a 2ª num cabeceamento de Tobias Figueiredo que Teo não lhe chegou. O intervalo chegou com a pressão do Sporting mas com um futebol muito atrapalhado. O resultado era injusto mas o futebol é isto.
Quando se esperava uma 2ª parte melhor, ainda foi pior!!
Se Amorsporting criticava o futebol de Marco Silva então o que dizer desta noite quando não sai um livre , um cruzamento , nem um canto? E o que dizer dos toques e mais toques para os pés dos avançados e que mais fácil de defender não há? Na distrital chamam-se passe á queima!! Toques e mais toques e no fundo não há remates á baliza, nem bons cruzamentos, nem situações de golo.
Na defesa , Tobias Figueiredo acabou de dizer que não merece ser titular pois não conseguiu cortar um contra-ataque dos russos e ainda conseguiu fazer uma daquelas entradas parvas e duras que ainda não aprendeu que não deve fazer. Sentimos a falta de Naldo!
O Sporting até iniciou a 2ª parte com um golão de F. Montero mas logo de seguida deitou tudo a perder deixando Niasse fazer tudo o que queria. Mané recuperou a bola á saída da área do Lokomotiv, endereçou para o colombiano que dentro da área e descaído para a direita deferiu um remate potentissímo que deixou o empate no marcador. Incrível!! Dois golos apontados de forma bastante fácil. No 1º golo, Rui Patrício poderia ter saído para cortar a bola mas ficou colado á baliza, a bola é colocada para dentro da área e Tobias mais uma vez desatento deixa Samedov fazer o 1-2. No 3º golo, Niasse entrou dentro da nossa área depois de uma tabela com um colega e colocou a bola por debaixo de Rui Patrício. Pior não podia ter sido!
O Sporting tinha acabado de mexer na equipa mas Ruiz e Slimani não foram a tempo de evitar o 3º golo. Slimani substituiu Montero e Ruiz entrou na vez de Mané. Até final o Sporting ainda tirou Aquilani e colocou André Martins mas a substituição não surtiu efeito. O futebol foi sempre igual e muito mastigado. Muitos passes errados, muita falta de criatividade e desacerto completo em todos os lances de bola parada. É incrível que não se consiga cruzar uma bola , marcar um canto nem um livre.
O melhor em campo por parte do Sporting foi claramente Adrien. Ele foi a voz e os pés de comando de uma equipa que sabe fazer mais mas que hoje foi trapalhona. Os nossos adversários já sabem o que fazer e então jogam todos da mesma forma. No entanto não há volta a dar e temos que , sobretudo, ser eficazes no ataque. Deixar realizar contra-ataques é meio caminho andado para se perderem jogos!
As muitas facilidades nos golos e o desacerto no ataque explica a nossa derrota. A derrota é muito dura!!

Sem comentários :