segunda-feira, 11 de maio de 2015

Jornada do LEÃO(32ª): Sporting...muito amarelo(1-1)


O Sporting jogou na Amoreira e ainda estava em jogo o 2º lugar do campeonato mas a equipa já não acreditava nesse objectivo e isso viu-se em campo. Á semelhança de tantos outros jogos , demos mais metade de um jogo de oferta ao nosso adversário. 
Marco Silva estava privado de Slimani, Nani, Miguel Lopes e Jefferson mas isso não pode servir de desculpa. Eis o onze inicial: Rui Patrício, Cédric, Paulo Oliveira, Ewerton, Jefferson, William Carvalho, Adrien, João Mário, Carrillo, Mané e Montero. 
Como se pôde ver , o Sporting voltou ao 4-3-3- mas deixou.....Montero sozinho na frente! O SCP sabia qual o plano do Estoril-transições rápidas mas deixou-se enganar pelos canarinhos. 
O nosso futebol era muito previsível, lento, sem intensidade , perdíamos algumas bolas de forma infantil....enfim onde estava a pressão quando era preciso?
As transições que iriam ser a arma do Estoril tiveram os seus proveitos numa fuga de Fernandinho pelo lado de Cédric. Este deu para o meio e ganhando o ressalto, Sebá, inaugurou o marcador. Muitas facilidades e pouca velocidade a defender foi o que se viu neste lance.
Mas o Estoril já poderia ter marcado não fossem as boas intervenções do nosso capitão, Rui Patrício.
O Jogo do SCP era basicamente o mesmo: William e Adrien vinham buscar jogo , a bola chegava ás laterais e estes até ajudavam o nosso ataque mas não passávamos disto. O perigo para a baliza do Estoril é que...nem vê-lo!! Os espaços eram poucos mas quando se joga de forma lenta torna-se fácil para as defesas...defender.
Carrillo e Mané também não conseguiam criar um verdadeiro perigo e assim os leões não tiveram oportunidades de golo.
Porém tudo mudou na 2ª parte.
Os leões surgiram bem melhores e apertaram o Estoril contra as cordas. Os lances já saiam com mais velocidade , os processos eram mais simples e prácticos e o perigo começou a surgir. O ritmo de jogo aumentou assim como a pressão e Montero tinha os companheiros mais perto dele. 
O Sporting começou a criar perigo e num livre cobrado da direita por Carrillo, originou o empate. O peruano marcou o livre para o 2º poste onde Jonathan tentou rematar á baliza mas Ewerton emendou para o fundo da baliza do polaco do Estoril. 
Marco Silva, mesmo assim , mudou a equipa com a entrada do japonês na vez de João Mário.
O SCP cresceu e poderia ter marcado por várias ocasiões. Mané conseguiu cruzar da esquerda e Tanaka de cabeça , permitiu uma grande defesa de Kieszek. Logo de seguida Montero rematou e Kieszek voltou a brilhar.
William e Adrien mandavam no meio campo e Paulo Oliveira e Ewerton já tinham acertado as agulhas. Nas alas , Cédric e Jonathan ajudaram muito os ataques mas os cruzamentos não encontraram ninguém. Carrillo e Mané apareciam mais mas não chegavam para as encomendas.
A 2ª parte foi só Sporting mas até ao final poucos lances originaram perigo. Ainda entraram Capel, e André Martins  mas nada surtiu efeito pois os canarinhos cortaram tudo o que havia para cortar. 
No fim destaque para a bonita homenagem que a claque do Estoril fez a Marco Silva. Colocaram-se atrás do banco de suplentes do SCP a cantar por ele. Bonito , sim senhor!!
Individualmente: Rui Patrício evitou males maiores na 1º parte e na 2ª não fez nada; Cédric deixou entrar Fernandinho pelo seu lado mas ajudou o ataque, Paulo Oliveira começou mal a não combinar com Eweron mas depois foi tudo dele, Ewerton depois de se acertar com o seu companheiro do lado fez uma boa exibição e foi ele que marcou o golo do Sporting, Jonathan substituiu Jefferson e pode-se dizer que não esteve mal mas vê-se que ainda tem que crescer, William não fez um mau jogo mas também não esteve ao seu nível; Adrien foi o autêntico patrão deste meio campo pois veio buscar jogo, distribuiu-o, pressionou e encheu o campo com o seu futebol. Para Amorsporting foi o melhor em campo dos Leões. João Mário esteve apagado, Carrillo não foi ele próprio e raramente conseguiu desequilibrar, Mané idem aspas aspas e Montero podia ter marcado por duas ocasiões e a zona de conforto dele é fora da área. Nota-se perfeitamente que ele é um tecnicista e gosta mais de andar a tabelar para poder ter espaço para rematar. Tanaka este mexido , apareceu bem e poderia também ter marcado. Com a presença ao lado de Montero é outra coisa. André Martins e Capel não vieram acrescentar nada. 
Quem muito falha e dá meias partes ao adversário dificilmente vence os jogos. As oportunidades são para se aproveitar e não para dar avanço aos outros. Esta é outra das lições para o ano que vem.

Sem comentários :