segunda-feira, 7 de julho de 2014

A suspensão de 1 ano a 4 sócios(membros da Juve Leo).


O Concelho Fiscal e Disciplinar do Sporting emitiu um comunicado onde pune 4 sócios com a suspensão de sócio por um período de 1 ano por alegadamente terem agredido o Vice-Presidente da Mesa da Assembleia Geral , Daniel Sampaio. 
Um grupo de adeptos do nosso clube arremessaram ovos na direcção da mesa onde se encontravam os dirigentes da Mesa da Assembleia Geral, numa sessão de esclarecimento sobre a A.G. e onde se encontrava o Vice-Presidente da Mesa. O Presidente desta Mesa , Eduardo Barroso, não estava presente e assim Daniel Sampaio assumiu a sessão de esclarecimento.
Acontece que a estação televisiva SIC tem gravações do acto e que até poderão servir de provas.
Mas Amorsporting não está aqui para decidir o que não tem que decidir e sim constatar um facto ou para o discutir.
Eis o comunicado do C.Fiscal do SCP:

"Em posse do processo disciplinar instaurado aos Sócios os Sócios Tiago Pires da Silva, n.º59.11-0, Igor Carvalho Baldé, n.º55.476-0, Nuno Ricardo Barbosa Moreira, n.º55.167-0, e Joaquim José Barranhão dos Santos, n.º97.527-0, foram vistas e analisadas as respectivas conclusões conforme resultam do relatório final que aqui se anexa e se dá por integralmente reproduzido fazendo parte integrante desta decisão.
Considerando o conjunto de factos provados, é manifesto que os arguidos violaram os deveres de Sócio previstos nas alíneas a), c) f) e g) do artigo 21.º, constituindo o comportamento dos arguidos infracções nos termos e para os efeitos das alíneas a), b), c) e d) do n.º 1 do artigo 27.º, tudo dos estatutos do SCP.
Tudo visto, conforme relatório final, em face dos factos provados, da gravidade das infracções e dos prejuízos causados, das circunstâncias atenuantes, do grau de culpa do Sócio e das necessidades de prevenção geral e de prevenção especial, foi pelo Conselho Fiscal e Disciplinar do Sporting Clube de Portugal decidido por unanimidade que é adequada e proporcional a sanção de suspensão de sócio do SCP, pelo prazo máximo estatutariamente previsto de 1 (um) ano, para todos os arguidos, nos termos e para os efeitos do artigo 27º n.º2 alínea c) e n.º6 dos estatutos do SCP, em face da violação dos deveres de sócio previstos nas alíneas a), c) f) e g) do artigo 21.º, constituindo o comportamento dos arguidos infracções nos termos e para os efeitos das alíneas a), b), c) e d) do n.º 1 do artigo 27.º, tudo dos estatutos do SCP".

Os 4 sócios punidos afinal são membros da Juve Leo , que agora , também em comunicado , afirma não compreender e não aceitar esta decisão do caso. 
Eis o comunicado da Juve leo:

"A Juventude Leonina vem por este meio mostrar a sua indignação face à resolução tornada pública em forma de comunicado pelo Sporting Clube de Portugal, sobre os incidentes ocorridos numa sessão de esclarecimento no auditório Artur Agostinho, em Janeiro de 2013.
Estranhamos, não compreendemos e não aceitamos que o conselho fiscal e disciplinar acuse inequivocamente quatro sócios do clube e da Juventude Leonina, sem que se cumpram os requisitos mínimos antes de um julgamento em praça pública, esta decisão não se coaduna com uma instituição centenária com estatuto de utilidade pública e que se diz democrática.
Como é possível identificar e acusar quatro sócios num universo de mais de cinquenta que se insurgiram numa sessão de esclarecimento, sem direito ao contraditório e sem qualquer audiência aos condenados, julgar apenas pela voz dos dirigentes! É esta a forma de estar destes dirigentes que apregoam e adoptam um slogan "O Sporting é nosso!", é este o tipo de democracia que se vive actualmente no NOSSO Sporting?
Ficamos a saber que os órgãos sociais do clube estão acima do direito e da lei da nação, pois enquanto o Departamento de Investigação e Acção Penal de Lisboa, arquivou o processo por falta de provas e ausências de indícios criminais, estes dirigentes viram mais além e puniram como nunca, não perderam tempo a anunciar e a festejar como se fosse um qualquer campeonato desportivo.
Ao longo dos trinta e oito anos da nossa história sempre nos batemos pela defesa do bom nome e da honra! Da nossa, e sobretudo do grande Sporting, não nos calarão e iremos batermo-nos pela verdade, pela defesa dos nossos sócios, contrariamente a que alguns apregoam!
Decidimos contratar e colocar à disposição dos grande Sportinguistas: Tiago; Igor; Nuno e Joaquim, um advogado que possa fundamentar a sua defesa ao abrigo do que esta expresso nos estatutos do Sporting Clube de Portugal, e recorrer a esse hilariante despacho.
A Direcção"

Não é fácil gerir um caso destes mas o que é certo é que há imagens que são vergonhosas. Se são dez, quinze ou cinquenta adeptos que lá estiveram não será o cerne da questão pois o que conta são os que se conseguirem provar que cometeram algo ilícito ou não. 
Outra questão serão as provas que existem e se são consideradas provas legais. Serão as imagens legais ? Já para não falar se haverá imagens dos supostos agressores.
Facto é que as agressões tiveram lugar e que os culpados devem ser punidos. Quem não sei mas é o justo. 
Obviamente que Amorsporting nunca poderá afirmar o quer que seja pois não é conhecedor de todos os factos nem é possuidor do conhecimento disciplinar para se pronunciar.
O comunicado da mais antiga claque do país esclarece mais qualquer coisa que antes não se sabia mas mesmo assim não chega. O que me parece que não estará correcto é as pessoas envolvidas não terem sido ouvidas !? Será ?
Outro pormenor é saber se mesmo depois do arquivamento do processo do Departamento de Investigação e Acção Penal de Lisboa, por falta de provas e ausências de indícios criminais se o nosso Concelho Fiscal e Disciplinar poderá tomar uma decisão contrária ?
Amorsporting aguardará serenamente , no seu cantinho, á resolução deste caso entre sportinguistas que claramente ainda alguma tinta fará gastar.
Convém o caso ser claro como a água para todos ficarmos a conhecer melhor os nossos regulamentos.
S.L.

2 comentários :

Anónimo disse...

Como quase todos, tambem não sei que provas haverá do acontecimento. Mas acredito que a direcção apenas punisse alguém com provas. E provavelmente por isso é que só há 4 sócios expulsos. Pelos vistos havia mais, mas provavelmente só contra estes 4 havia provas. E a legalidade das provas é merda. Uma coisa é as provas serem falsas e isso é grave. Outra é serem válidas em tribunal. Toda a gente ouviu as escutas do apito dourado. Até podem não ser admissíveis em tribunal, mas são verdadeiras e todos sabemos e vergonha que foi.
Se alguém filmar um pedófilo a violar uma criança, provavelmente também não será admissível em tribunal, mas havias de ver se eu não lhe podia partir os dentes.

Rui Fernandes disse...

Obviamente que quando as provas são falsas é gravíssimo mas não me parece o caso pois há filmagens e as pessoas que lá estavam na mesa devem ter visto. As pessoas devem ser Homens e assumir os seus actos.Ovos??